O primeiro contato com os quadrinhos e com o rock foi através do seu irmão mais velho. Desde então, essas duas forças jamais deixaram de estar presentes, de alguma forma, em sua vida.

Aos 15 anos, publicou o fanzine PORÃO, junto com os amigos do Liceu de Artes e Ofícios. A boa recepção do zine (nas revistas Circo, Animal e Níquel Náusea) apontou o caminho a ser seguido.

Aos 24, se formou pela Escola de Belas Artes (EBA) da UFRJ. Desde então, divide o tempo entre produzir festas/eventos de rock e sobreviver desenhando (ilustração, storyboards, aulas e quadrinhos).

Entre os seus trabalhos mais relevantes como editor e/ou quadrinista (roteiro e/ou desenho) estão:

Dragão Dourado – RPG – IDD Editora (a primeira revista de RPG brasileira);
Coleção Assombração – Ediouro (Editor: Ota);
Revista do Descobrimento – Jornal O Globo – RJ;
Coffee Break – Tira Mensal – Revista Melhor – SP (roteiro de Luis Adonis);
Teenangel – Tira Infanto-Juvenil – Jornal O Sul – RS (e menção honrosa no Salão Carioca de Humor);
Mosh! – 12 edições – 4 Prêmios HQ Mix como Melhor Revista Independente (2) e Melhor Revista Mix (2) junto com Sandro Lobo;
Jukebox – 4 edições – Prêmio HQ Mix de Melhor Revista de Bolso;
Mesa de Bar – Revista de promoção para o longa-metragem “Mesa de Bar” (com Erik Judson);
Revista Comemorativa do Bloco Bafo da Onça (com Isabella Amaral);
Revista em homenagem à ROMERO BRITTO pela medalha Tiradentes (ALERJ).

E também desenhou os storyboards para os longas “Se Puder, Dirija” e “Muita Calma Nessa Hora 2”. Nos finais de semana costuma atacar como DJ nas festas Yellow Submarine e College, no Rio de Janeiro.

“Keep on Rockin!”

Renato Lima. Foto por Guido Argel.